PF suspeita que invasão tenha ocorrido antes do dia 1° de setembro

No domingo 15, hackers publicaram na internet informações sigilosas de funcionários do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O ministro Luís Roberto Barroso, que preside a instituição, havia afirmado que os dados vazados eram do período entre 2001 a 2010. Entretanto, investigações mais detalhadas da Polícia Federal apontam que, entre o que foi acessado, existem arquivos de 2020.

Segundo investigadores, a invasão ao sistema digital do TSE pode ter acontecido antes de 1º de setembro e, no conteúdo roubado, constavam endereços e telefones até mesmo de ex-ministros que estavam armazenados em uma área de acesso restrito aos colaborares do TSE.