Uber tem que pagar salário mínimo para motoristas; Lyft também restringiu novos cadastros

Uma lei recente da cidade de Nova York começou a surtir efeito nos apps de transporte: a Uber confirmou que, desde 1º de abril, não está aceitando cadastros de novos motoristas. O principal concorrente, o Lyft, criou uma lista de espera para interessados em dirigir na plataforma. Pelas novas regras, as empresas são obrigadas a pagar uma espécie de salário mínimo aos motoristas.

As regras foram aprovadas no final de 2018 pela Comissão de Táxis e Limusines (TLC, na sigla em inglês) da cidade, que se tornou a primeira a ter uma regra desse tipo. O valor mínimo a ser pago pela Uber, Lyft e outras empresas é de US$ 17,22 (líquido) ou US$ 26,51 (sem descontos) por hora de trabalho. Para fins de comparação, o salário mínimo em Nova York é de US$ 15 por hora.