Rosinha Garotinho e Anthony Garotinho

Ex-governadora terá suspensão de seus direitos políticos por oito anos, perda da função pública, além do pagamento de multa

Rio – O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) condenou, nesta terça-feira, a ex-governadora Rosinha Garotinho por improbidade administrativa. Com a decisão, a esposa de Anthony Garotinho foi condenada à suspensão de seus direitos políticos por oito anos, perda da função pública, além do pagamento de multa – R$ 234 milhões de ressarcimento ao erário, R$ 500 mil de multa civil e R$ 2 milhões de compensação por danos morais coletivos.

Rosinha e o também ex-governador do Rio Anthony Garotinho foram condenados pela contratação ilícita da Fundação Pró-Cefet para a gestão do projeto ‘Saúde em Movimento’, que custou R$ 234 milhões aos cofres públicos. Segundo a Justiça, o contrato só foi possível porque, na época, o Estado do Rio era governado por Rosinha e Garotinho secretário estadual de Governo, e enquanto secretário, ele intercedeu para que fosse rompido um contrato então em vigor com a Fundação Escola de Serviço Público (Fesp), que administrava o projeto, abrindo caminho para o acordo fraudulento com a Pró-Cefet.