Ao realizarmos viagens interestaduais, principalmente para o estado de São Paulo, notamos que o valor da gasolina é muito inferior ao valor praticado no estado do Rio de Janeiro, você sabe porque ?

Confira abaixo como é formado o preço da gasolina em média:

16% do valor da gasolina é formado pelos tributos Cide e PIS/Cofins, de competência da União.

29% do valor da gasolina é formado pelo tributo ICMS, recolhido pelos estados da federação.

Temos em média 45% do valor da gasolina, quase metade, formado apenas por tributos, o que é algo extremamente indecente.

Confira abaixo o valor médio da gasolina que chega até a bomba por estado:

Gasolina média por estado do Brasil.

Para piorar, o estado do Rio de Janeiro tem o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) que incide sobre o combustível com a aliquota de 32%, 3% mais caro que a média nacional.

Mas não é só isso, ainda tem o acréscimo de 2% referente ao Fundo Estadual de Combate à Pobreza e às Desigualdades Sociais (FECP), totalizando absurdos 34%, portanto 5% mais caro que a média nacional.

Você morador do estado do Rio de Janeiro, consegue ver o FECP sendo utilizado de maneira efetiva ? Consegue sentir os efeitos práticos desse fundo ?

O Brasil possui uma das maiores e mais complexas cargas tributárias do planeta, como se já não fosse o suficiente, o estado do Rio de Janeiro possui uma das maiores cargas tributárias do Brasil sobre a gasolina.

Isso precisa mudar para nosso estado voltar a crescer! ainda mais porque o Rio de Janeiro foi o estado mais afetado pela crise financeira com fechamento de vagas de trabalho, empresas falindo e aumento de desempregados.