Segundo a família, o rapaz foi assassinado após ser confundido com policial militar. Testemunhas contaram que vítima foi baleada por traficantes

Robson Alves Duarte, de 29 anos, foi morto a tiros na rua Marcelo, em Embu das Artes, região metropolitana de São Paulo, por volta das 17h deste sábado (12). A família denuncia que o rapaz foi assassinado após ser confundido com um policial militar.

Segundo Leia, tia de Robson, a vítima trabalha como motorista de aplicativo e estava em serviço, no dia do crime. Ele é morador do Capão Redondo, na zona sul de São Paulo, e se deslocou até Embu das Artes para buscar um passageiro.

Robson estacionou na rua Marcelo, próximo a uma unidade de saúde do bairro. Testemunhas contaram à família que traficantes da região se aproximaram do veículo gritando “é polícia, é polícia”, e atiraram contra Robson.

Uma pessoa que estava pelo local e presenciou os disparos entrou no carro de Robson, um Fiat Argo, de cor branca, e o levou para a Unidade de Pronto Atendimento Dra. Zilda Arns.

Segundo a família, Robson ainda estava consciente quando chegou ao hospital. No trajeto, ele teria pedido ao homem que o socorreu para entrar em contato com um amigo que morava ali perto, para buscar o carro.

Robson não resistiu aos ferimentos e morreu momentos depois na unidade de saúde. De acordo com Leia, o motorista de aplicativo estava casado há apenas dois meses. A esposa está grávida, também de dois meses, do primeiro filho do casal.

O caso foi registrado no 1ºDP de Embu das Artes, como homicídio.

O corpo de Robson foi encaminhado ao IML (Instituto Médico Legal). O velório será por volta das 13h deste domingo (13), no Cemitério Jardim da Paz, em Embu das Artes, onde também será o sepultamento.