Justiça do Distrito Federal condenou o aplicativo de delivery Ifood a indenizar um entregador que ficou três meses sem receber repasses que lhe eram devidos. Segundo o trabalhador, ele teve seu cadastro liberado para prestar serviços em maio, mas depois notou que sua conta estava inativa. Alterou o cadastro, mas continuou sem receber.

Em sua defesa, no processo, o Ifood argumentou que entregadores são responsáveis pelas informações fornecidas e alegou que os dados indicados neste caso não eram válidos.

O juiz, no entanto, conforme pedido pelo autor do procedeu, ordenou o pagamento por danos morais. “Os aborrecimentos e transtornos que ele efetivamente passa (passou), que não recebeu o que lhe era devido, sem que a ré buscasse meios para resolver o problema, mesmo após comunicada, são susceptíveis, no meu juízo, de ensejar indenização”, explicou.

O IFood terá então que pagar R$ 1.500 de indenização, além de repassar a quantia de R$ 5.472,61, referente aos serviços prestados.

Procurado pelo EXTRA, o iFood informou que não comenta processos judiciais em andamento.