Já que primeira estratégia não deu certo, mídia lança outro factoide sobre Flavio Bolsonaro

/, Rio de Janeiro/Já que primeira estratégia não deu certo, mídia lança outro factoide sobre Flavio Bolsonaro

Já que primeira estratégia não deu certo, mídia lança outro factoide sobre Flavio Bolsonaro

2019-01-22T18:38:37+00:0022/01/2019 19:30|Categorias: Política, Rio de Janeiro|Etiquetas: |2 Comentários

 

Já que primeira estratégia não deu certo, mídia lança outro factoide sobre Flavio Bolsonaro

 

Após a tentativa falha de coalizão entre imprensa e órgãos políticos aparelhados para tentar desgastar a imagem de Flávio Bolsonaro, eis que surge um novo factoide com o mesmo objetivo.

A tentativa agora é empurrar Flávio Bolsonaro para um esquema de milicianos. As informações divulgadas na mídia colocam que o senador carioca, quando ainda estava na ALERJ empregou duas mulheres ligadas ao capitão Adriano Nóbrega, acusado de fazer parte do ‘Escritório do Crime’, uma organização suspeita de ter assassinado a vereadora Marielle Franco.

O fato é que novamente, nenhuma prova é apresentada, e é sempre com o objetivo de arrastar novos acontecimentos, como quem constrói uma narrativa. As informações apresentadas pela imprensa, são cheias de “se”, “tido como suspeito”, “acusado” e demais formas de tentar imputar algo sem dizer efetivamente.

2 Comentários

  1. Humberto 23 de janeiro de 2019 at 23:49 - Reply

    A Tática comunista de desarmar a população é para fazer o que Maduro esta fazendo na Venezuela, Estivessem os venezuelanos armados o Maduro já estaria morto. Bolsonaro faz bem em querer armar a população frustrando os planos dos comunistas do Brasil.

  2. Humberto 23 de janeiro de 2019 at 23:52 - Reply

    As táticas de manipulação da informação veiculada pela mídia incluem desde o uso de falácias lógicas e outros artifícios retóricos, passando por técnicas de propaganda e de manipulação psicológica, até a pura e simples fraude. Frequentemente envolvem a omissão de dados e a exclusão de opiniões divergentes, com a finalidade levar determinados argumentos ao descrédito; outras vezes, procura-se desviar a atenção do público mediante um excesso de oferta de informações sobre diversos assuntos. Vários métodos de manipulação dos meios de comunicação de massa baseiam-se na distração, assumindo-se o pressuposto de que o público tem um limiar de atenção restrito. Um exemplo disso é a manipulação de gráficos de barras, frequentemente utilizados pela televisão. Nesse caso, podem ser usadas barras de tamanho não correspondente aos números (que são verdadeiros), na esperança de que o telespectador (um “Homer Simpson”, nas palavras de William Bonner[3]) não perceba a falcatrua. Wikipédia Manipulação da Mídia.

Faça um comentário

WhatsApp chat
%d blogueiros gostam disto: