Com o surgimento de apps e tecnologias como Google Fotos, Messenger, Uber Eats, Telegram, Siri e tantos outros, atividades como essas se tornaram triviais e fazem parte do cotidiano de usuários comuns. Confira, a seguir, uma lista com dez aplicativos e ferramentas que não existiam no início de 2010 ou que funcionavam de forma bem diferente.

1. Instagram

Instagram não existia dez anos atrás: app surgiu em outubro de 2010

Rede social voltada para postar fotos e vídeos, o Instagram foi lançado em outubro de 2010. A plataforma, que foi exclusiva para iPhone até 2012, se tornou rapidamente a rede mais popular para o compartilhamento de imagens, com direito a filtros e edição criativa.

Até então, quem curtia compartilhar a rotina na Internet por meio de imagens tinha outras opções. O Orkut, rede social preferida dos brasileiros na época, oferecia um recurso de álbuns de fotos em que o usuário podia organizar os arquivos e interagir com seus amigos, marcando uns aos outros e deixando comentários nas postagens.

2. Uber e 99

Serviços como Uber e 99 não existiam há dez anos

A ideia de chamar um táxi ou carro particular por meio do telefone celular, acompanhar o trajeto em tempo real e realizar pagamentos de forma digital parecia distante da realidade no início de 2010. Naquela época, a forma mais sofisticada de facilitar o transporte com a ajuda da Internet era utilizar o Google Maps. A partir de 2008, rotas de transporte coletivo de cidades brasileiras passaram a aparecer na ferramenta.

Entretanto, nem todos os celulares possuíam GPS naquela época. Uma opção era criar a rota no computador e imprimi-la, ou memorizar o mapa antes de sair de casa. O mais comum para conseguir um carro era chamar um táxi na rua ou telefonar para um ponto.

3. TikTok (Musical.ly)

Ferramentas de edição e compartilhamento rápido como o TikTok também não existiam

Editar vídeos no início de 2010 não era tão simples. A tarefa costumava ser feita com um programa profissional, como Adobe Premiere e Sony Vegas, ou com softwares um pouco mais simples, como o Windows Movie Maker — primeira ferramenta de edição na vida de muita gente. Com o vídeo editado, o arquivo poderia ser postado no YouTube.

Não havia redes sociais focadas em vídeos curtos e com funções de edição caprichadas. O TikToké um exemplo disso, com grande variedade de recursos, sons e filtros para edição de vídeos de até 15 segundos sobre qualquer assunto.

4. Tinder

O que é e como funciona o Tinder

A busca por relacionamentos por meio da Internet não é novidade. Há dez anos, no entanto, não havia Tinder e outras plataformas que buscam combinar usuários com um “match”, utilizando geolocalização ou traços específicos da personalidade. Quem buscava uma nova paixão na web precisava recorrer a sites de relacionamento, muitos deles pagos, e que prometiam combinar pessoas com gostos e objetivos semelhantes.

5. Messenger e Telegram

Aprenda a apagar completamente conversas no Telegram

Uma das maiores revoluções dos últimos anos é a facilidade da comunicação que apps como Messenger, WhatsApp e Telegram passaram a oferecer. É possível conversar com os contatos por meio da Internet sem gastar com mensagens SMS.

Até dez anos atrás, realidade era bem diferente. Serviços de mensagens por meio da Internet existiam, mas ficavam restritos aos computadores: MSN e Skype são bons exemplos que marcaram época. No celular, mesmo quem já possuía um smartphone, precisava recorrer ao SMS para se comunicar com os contatos.

6. Snapchat

Snapchat trouxe a ideia de postagens com “data de vencimento”

Um conceito que não existia há dez anos era a ideia de uma postagem com “data de vencimento”: algo que você publica e dura um dia, desaparecendo completamente. O novo modelo de interação surgiu com o Snapchat e ficou tão popular que outras redes, como Instagram e Facebook, adotaram o modelo conhecido como Stories.

7. iFood e Uber Eats

Serviços como iFood e Uber Eats facilitam a vida dos usuários

Há dez anos, nem todos os restaurantes possuíam sites, e era ainda menor a quantidade de estabelecimentos que ofereciam serviços digitais para pedir comida. Na época, encomendar algo para comer passava quase que obrigatoriamente pela ligação telefônica para o serviço de delivery.

Hoje, aplicativos como iFood e Uber Eats simplificam o uso de serviços de entrega de comida. A plataforma agrega vários restaurantes diferentes e, usando a localização, indica os mais próximos. Há ainda um ranking de qualidade da comida, informações sobre preços e possibilidade de pagar tudo por meio do app.

8. Google Fotos e suas fotos na nuvem

Google Fotos facilita o backup e a organização de imagens

O Google Fotos permite que o usuário realize o upload automático de suas fotografias na nuvem, que organiza álbuns e promete manter os arquivos em segurança, acessíveis de qualquer lugar. Basta ter uma conexão com a Internet e todo o histórico de fotos do usuário fica disponível para consulta em qualquer dispositivo.

A ideia de armazenamento de dados na nuvem ainda engatinhava há dez anos, e começava a se popularizar com ferramentas como o Dropbox. Naquela época, quem tinha câmera no celular precisava se contentar com o armazenamento interno do aparelho, e ter acesso às imagens dependia necessariamente de ter cópias dos arquivos no dispositivo.

9. VSCO Cam

VSCO Cam permite editar fotos de forma simples e rápida

Serviços como o VSCO Cam tornam a tarefa de editar fotos mais acessível. Apps do gênero são mais amigáveis e impõem menos barreiras para quem deseja alterar ou tratar uma imagem, mas não possui conhecimentos muito avançados em ferramentas profissionais.

Dez anos atrás, quem quisesse mexer em alguma foto precisava recorrer a softwares poderosos, como o Adobe Photoshop. Com uma grande variedade de recursos, o editor de fotos exige um domínio maior das ferramentas e acaba dependendo de um conhecimento muito específico para iniciantes.

10. Siri e Google Assistente

Siri e Google Assistente pareciam ficção científica há dez anos

Assistentes de voz como Siri, Google Assistente, Alexa, Cortana e Bixby permitem que o usuário realize comandos por meio da fala para realizar procedimentos rotineiros. Isso inclui enviar uma mensagem, iniciar uma lista de músicas ou marcar um compromisso na agenda, tudo sem precisar usar as mãos.

Comandos por voz em dispositivos e computadores parecia ficção científica há dez anos, algo restrito por exemplo a Tony Stark em Homem de Ferro. No filme, de 2008, o personagem interage com o assistente Jarvis por meio da voz. Em 2011, a Apple apresentou a Siri como um diferencial do iPhone 4S. De lá para cá, o conceito se popularizou e evoluiu com o surgimento de opções de outras fabricantes.