O autor do texto argumenta que as acusações do MPF mostram que o casal feriu o código de ética da entidade

Uma ação judicial pede para que a Ordem dos Advogados do Brasil no Rio casse as carteiras profissionais do governador afastado Wilson Witzel e da primeira-dama Helena Witzel.

A medida foi protocolada no Conselho Ética da entidade. O autor do texto, o advogado Victor Rosa Travancas, argumenta que as acusações do Ministério Público Federal mostram que o casal feriu o código de ética da OAB.

Para Travancas, o caso de Witzel e Helena é muito parecido ao de Sérgio Cabral e Adriana Ancelmo. Segundo ele, o ex-juiz federal fez mau uso da advocacia.

O advogado aponta que a OAB deveria seguir a decisão do ministro Benedito Gonçalves, do Superior Tribunal de Justiça, que afastou Witzel do cargo de governador.

Victor Travancas também solicitou que a Ordem proíba a atuação deles como advogados enquanto durarem as investigações.

No pedido, uma lista de testemunhas foi apresentada, incluindo os deputados Luiz Paulo, autor do pedido de impeachment contra Witzel, e Renan Ferreirinha, relator da comissão da Covid-19 na Assembleia Legislativa.