Advogado conta como foi contratado para defender esfaqueador de Jair Bolsonaro - Ronaldo Cunha